Demissão, Uma Questão de Tempo


- 27/07/2014 às



A noite de domingo terminou com duas notícias que estremeceram a torcida tricolor: a derrota para o Coritiba, que realiza uma péssima campanha no campeonato brasileiro, e a demissão do técnico Enderson Moreira. A produtividade do Grêmio após a Copa do Mundo deixou a torcida desconfiada a já se falava que, em caso de derrota contra o Coritiba, que a demissão era inevitável.

Enderson não é um técnico ruim. Apesar das dificuldades, fortaleceu o grupo e foi protegido por ele. Mas não conseguiu estabelecer o que mais se esperava dele, que é um padrão de jogo, pois como um “estudioso” do futebol, esperava-se maior facilidade para montar um time eficiente taticamente. Mas não foi o que aconteceu. Nos jogos após a Copa, todos notamos as dificuldades ofensivas do Grêmio, mesmo com um meio-campo com bons jogadores. Era visível que o time não evoluía e que os resultados não eram os esperados. A torcida perdeu a paciência e as críticas aumentaram. Era uma questão de tempo para o técnico ser demitido.

A direção do Grêmio andou na contramão da cultura do futebol brasileiro. Enderson resistiu aos grenais da final do Gauchão e à eliminação na Libertadores. Nem com resultados tão negativos a confiança no trabalho de Enderson foi abalada. O Grêmio dispõe de um bom grupo de jogadores, uma direção que esforçou para contratar, mas simplesmente, o time não encaixou com Enderson. O clima para trabalhar após a derrota para o Coritiba ficaria insuportável.

Não se coloca em dúvida a competência do treinador. Talvez ele seja um dos técnicos mais promissores da nova geração. Mas, no Grêmio, não conseguiu aliar teoria e prática. Futebol é resultado e os resultados não vieram. Resta agora saber quem será o escolhido para assumir o Grêmio e desejar que ele encontre as alternativas que Enderson não conseguiu. É esperar e ver.
Saudações gremistas!


Boa semana!
Compartilhe no Google+

Comentários